Oi gente!

Essa semana eu estava aqui organizando as minhas coisas do trabalho e refletindo sobre algo que achei um tanto interessante: nossas metas e objetivos que traçamos ao longo do ano. Como vocês podem ver, já estamos praticamente no meio do ano de 2016 e isso muito me assusta. No início do ano eu tracei algumas metas e dentre elas: ler 14 livros (dentre eles 3 em língua inglesa), dar aquele “up“ no inglês, queria conseguir um trabalho na minha área aqui em Londres (e Deus foi lindo comigo e eu consegui), queria concluir alguns estudos e peças para flauta que eu comecei a estudar no Brasil e etc. Você já parou pra pensar nas suas metas? Sim, aquelas que você colocou na listinha da virada do ano? Emagrecer, ter uma vida saudável, ser uma pessoa melhor, parar de fumar, ler mais, mudar de emprego, entrar para a faculdade, terminar aquele curso que parou, visitar um parente querido, fazer uma viagem dos sonhos ou aprender uma língua nova. Sim, essas metas ainda estão lá. Agora o que você fez ou está fazendo delas é a questão! Eu vou ser honesta com vocês e na boa, eu nunca tinha parado para fazer a tal listinha de desejos ou objetivos. Comecei esse ano a organizar as ideias e me senti melhor. Mas ao mesmo tempo, consigo ver claramente o tempo passar (e como passa rápido)! As minhas metas estão caminhando, penso nelas e vejo todas elas se tornando reais. Isso é o que me alimenta diariamente e não me deixa cair na comodidade. O interessante disso tudo é que as nossas metas podem mudar e isso não é ruim pois somos seres humanos e estamos sempre em construção. A nossa busca por algo melhor é infinita e deve ser mesmo. O nosso maior desafio é lutar contra a vontade de nos sabotarmos frente às nossas metas. Cuidado com isso! Não vale a pena passarmos uma vida inteira nos sabotando e fingindo que está tudo certo. A vida é apenas uma, daqui alguns anos não estaremos aqui e a nossa história será mais vazia do que planejamos.
Vamos rever os nossos objetivos? Está na hora!
Beijos e até breve 😉
Dayse Bruna